Tamusa Forte 510 mg

PROTECÇÃO DA MUCOSA GÁSTRICA - SÍNDROME DO CÓLON IRRITÁVEL - COLITE - DIVERTICULITE - PROTECÇÃO ANTI-CANCERÍGENA - PARASITAS INTESTINAIS - DOENÇA DE CROHN

31,19 € (c/IVA)

+ Wishlist

Programa de fidelidade Ao comprar este produto você pode obter até 1 ponto de fidelidade. o seu carrinho irá totalizar 1 ponto que pode ser convertido num vale de 1,00 €.


30 outros produtos da mesma categoria:

PROTECÇÃO DA MUCOSA GÁSTRICA - SÍNDROME DO CÓLON IRRITÁVEL - COLITE - DIVERTICULITE - PROTECÇÃO ANTI-CANCERÍGENA - PARASITAS INTESTINAIS - DOENÇA DE CROHN

EVIDÊNCIAS FARMACOLÓGICAS PRÉ-CLÍNICAS

 

INDICAÇÕES: Suplemento alimentar cuja composição, rica em fibras insolúveis (> 47%) e taninos (>20%), contribui para melhorar a funcionalidade do intestino grosso, auxiliando assim em todos os problemas de saúde originados por processos inflamatórios, oxidativos e de auto-imunidade.

 

COMPOSIÇÃO por 4 cápsulas (Dosagem Recomendada)
Pó de Musáceas: 1200 mg

 

MODO DE TOMAR: tomar 2 a 4 cápsulas por dia, 30 a 40 minutos antes das refeições, com um pouco de água.

 

EVIDÊNCIAS FARMACOLÓGICAS PRÉ-CLÍNICAS

Acção anti-oxidante: Estudos realizados “in vitro” em homogeneizado de células cerebrais de ratos, demonstraram que o extracto do pseudotalo de Musa spp é capaz de inibir os processos de peroxidação lipídica, capturar os aniões superóxido e os radicais hidroxilo e ainda quelatar iões ferro sem exercer qualquer efeito oxidativo sobre o ADN, resultados que asseguram a potencialidade da utilização deste extracto como antioxidante.

 

Acção anti-inflamatória: Num modelo experimental em que se induziu colite ulcerosa com a utilização de ácido acético, os animais tratados com cápsulas de extracto de Musa spp apresentaram menores manifestações de eventos inflamatórios da mucosa do cólon: uma diminuição da actividade da mieloperoxidase de 67%, redução peso do cólon em 37%, um aumento de 42% na taxa de preservação da membrana dos mastócitos e ainda redução das lesões macroscópicas. Estes resultados são em tudo similares aos obtidos com a Azufidina, medicamento tradicionalmente utilizado nestes casos.

 

Acção anti-ulcerosa: A administração do extracto em ratos provoca um aumento significativo de 84% na produção da secreção mucóide, factor que sabemos ser protector da mucosa face à acção de agentes corrosivos.

 

ENSAIOS TOXICOLÓGICOS: Num ensaio de toxicologia aguda as dosagens máximas de administração oral (5000 mg/kg) não produziram nenhum tipo de letalidade nos animais estudados. A administração subcrónica (3 meses) revelou ser um tratamento inoculo, sem a ocorrência de mortes, afecções neurotóxicas, histológicas nem bioquímicas. O produto também não apresentou efeitos embriotóxicos, teragénicos nem clastogénicos sobre os fetos das ratas tratadas com o extracto de Musa spp.

 

EVIDÊNCIAS CLÍNICAS

Obtiveram-se resultados satisfatórios na avaliação da eficiência dos extractos de Musa spp. no tratamento de enfermidades inflamatórias do cólon e do recto, com melhoria dos quadros clínicos e das lesões endoscópicas e radiológicas. Bem como na recuperação das lesões sofridas como consequência de parasitismo intestinal, tendo-se conseguido normalizar os níveis de IgA e Ferro Sérico, entre outros parâmetros bioquímicos. Durante os estudos realizados não se verificaram reacções adversas.

 

Inflamações Intestinais - VALDÉS P. ET AL. 2006 (Hospital General Docente “Júlio Trigo”, Cuba)
99 pacientes portadores de afecções inflamatórias do cólon e do recto tomaram 250 mg de extracto de Musa sp., 3 a 4 vezes por dia, na face aguda das suas inflamações (10 a 30 dias), e todos sem excepção apresentaram melhorias nos quadros clínicos e nas lesões endoscópicas e radiológicas. Foram tratados:

- 20 casos de Retocolite Ulcerativa Idiopática
- 71 casos de Diverticulite.
- 8 casos de Diarreia de origem desconhecida

 

Parasitas Intestinais - LABAÑINO AG. (Hospital Pediátrico Marfán. Cuba)
A avaliação do efeito dos extractos de Musa spp. em 20 crianças, com idades compreendidas entre os 3 e 5 anos, sofrendo de diferentes tipos de parasitismo intestinal, indicou que a administração do extracto é favorável à normalização dos níveis de IgA e de Ferro Sérico, ao restabelecimento da imunidade, à redução da ocorrência de diarreias, e ao aumento de peso corporal resultante de um melhor processo de absorção intestinal.

 

Cancro - (http://www.patenstorm.us/patents/6200568/description. html)
A administração de 10% ácido tânico, em pacientes cancerosos, alguns que não podiam ser operados e outros dados como terminais, resultou em vários casos de sucesso no tratamento de:

- Cancro da próstata, em 3 meses
- Cancro da mama, em 3 meses
- Cancro do útero, num ano
- Cancro do cólon, num ano
- Cancro da bexiga, em 10 meses
- Leucemia Linfoblástica Aguda, num ano

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Agarwal PK et al. Indian J Exp Biol. 2009
Lewis DA et al. J. Ethnopharmacol. 1999
Mohan KM et al. Indian J Exp Biol. 2006
Vijayakumar S et al. Fitoterapia 2008

 

 

  • Apresentação: Frasco com 100 Cápsulas de 510 mg

Não há comentários de clientes neste momento.

Só utilizadores registados podem publicar comentários.

Carrinho  

Nenhum produto

Portes 0,00 €
Total 0,00 €

Encomendar

Portes Grátis apartir de 50€

Promoções

PayPal